Contato: (11) 3043-4171

É impossível ‘não ter vergonha’ do que aconteceu no País

A corrupção no País se tornou endêmica, com esquemas profissionais de arrecadação que formaram pequenas facções criminosas, e quem olhar para a cena brasileira atual não tem como não ter um choque, disse na sexta-feira (15), o ministro do STF, Luís Roberto Barroso, em almoço-homenagem a ele na Associação Comercial do Rio de Janeiro.

O ministro afirmou que é impossível não ter vergonha do que aconteceu no Brasil, referindo-se à operação Lava Jato, e disse que se fosse tirada uma fotografia do momento atual do Brasil, ninguém de fora do País acreditaria.
“O presidente da República sofreu duas denúncias pelo procurador-geral da República por corrupção passiva e obstrução de justiça. O presidente anterior foi condenado no primeiro grau da jurisdição por corrupção passiva. Um outro presidente anterior foi denunciado diante do STF por corrupção passiva. Um ex-candidato a presidente da República, senador da República está denunciado perante o STF... Diversos governadores estão presos, sendo processados por corrupção”, enumerou Barroso para uma atenta plateia de advogados e outros convidados, ressaltando que não estava fazendo nenhum juízo de valor.
De acordo com Barroso, a delação premiada da Odebrecht envolveu 26 partidos políticos e algumas centenas de políticos. Já a delação premiada da JBS envolveu mais de 1.800 políticos de 28 partidos. “É tão espantoso que alguém pode pensar que haja uma conspiração contra tudo e contra todos. O único problema são os fatos, os atos, os vídeos, as fotos, as malas, as mochilas, os apartamentos”, afirmou o ministro (AE).

Rua Vergueiro, 2949, 12º andar – cjto 121/122
04101-300 – Vila Mariana – São Paulo - SP

Contato: (11) 3043-4171