‘Não dá para esperar janeiro’ para fazer reforma ministerial

O líder do PP na Câmara, deputado Arthur Lira (AL), disse ontem (8), ao presidente Temer que não dá para esperar janeiro para fazer a reforma ministerial.

Na avaliação do parlamentar alagoano, é preciso reorganizar a base o mais rápido possível.
“Disse a ele: não dá para esperar para janeiro. Tem que reorganizar a base agora. Ano que vem já é ano eleitoral”, disse Lira em entrevista ao Broadcast Político, serviço de notícias em tempo real do Grupo Estado. “Acho que ele concordou”, acrescentou o líder do PP, sigla com a quarta maior bancada da Casa, com 45 deputados.
Como mostrou o Estadão/Broadcast, com o aumento da pressão de partidos do Centrão - do qual fazem parte PP e PTB - e os sinais de desembarque do PSDB, Temer já avalia antecipar para janeiro a reforma ministerial que pretendia fazer em abril, quando ministros que serão candidatos em outubro precisam deixar os cargos.
Segundo interlocutores de Temer no Congresso Nacional, o presidente teria ficado muito irritado com o artigo publicado pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso em que defendeu a saída do PSDB do governo em dezembro. Nas palavras de um aliado, FHC demitiu os ministros do PSDB antes de Temer (AE).