FMI eleva previsões de crescimento global para 3,6% em 2017

O Fundo Monetário Internacional (FMI) melhorou ontem (10) as previsões de crescimento para a economia global a 3,6% para este ano e a 3,7% para 2018, em ambos os casos um acréscimo de 0,1%, graças ao aumento da atividade na Europa e no Japão, o bom ritmo dos Estados Unidos e a solidez da China.

“A alta global na atividade econômica está se fortalecendo. Após anos de debilidade, as economias avançadas começam a dar bons sinais”, destaca o relatório do fundo.
O organismo dirigido por Christine Lagarde aumentou as previsões de crescimento para a zona Euro para 2,1% este ano e 1,9% em 2018, 0,2% acima do que foi calculado há três meses. Esta recuperação se deve a uma “aceleração das exportações, ao contínuo fortalecimento da demanda interna, o respaldo ao estímulo monetário e a redução de riscos e incerteza política”, diz o FMI.
Para os Estados Unidos, principal economia mundial, espera-se agora um crescimento de 2,2% para este ano e de 2,3% para 2018, uma melhora de 0,1% e 0,2%, respectivamente, frente aos cálculos de julho, impulsionado por condições financeiras muito favoráveis e “à forte confiança de consumidores e empresas”.
A tudo isso se soma o impulso apresentado pelo grosso das economias emergentes. O FMI também ressaltou a “solidez” da China, para a qual estimou um crescimento de 6,8% em 2017 e de 6,5% para 2018, 0,1% acima do cálculo. Já no caso da Índia, o fundo rebaixou suas previsões de crescimento para 6,7% para este ano e 7,4% em 2018, com 0,5% e 0,3% a menos, respectivamente (Agência EFE).