Ricardo Karpat (*)

Ter conhecimento técnico, do segmento, ser um excelente orador, ter experiência e uma ótima formação acadêmica, tudo isso ajuda muito na busca pelo sucesso profissional.

Porém, nenhuma destas qualidades é tão importante quanto a capacidade de liderança. Na grande maioria dos casos de sucesso profissional, a pessoa tem uma equipe subordinada a ela, e o resultado do trabalho proporcionado por esta equipe é a sua principal atribuição.

Há tempos a importância da liderança é explícita, porém ainda se fazem necessários esclarecimentos a respeito da capacidade de liderança empresarial, que pode ser definida, de forma objetiva, como a capacidade de uma pessoa dirigir, através de uma gama de habilidades desenvolvidas, uma equipe a um objetivo previamente estabelecido pela corporação.

Os profissionais que desenvolvem essa capacidade e conseguem executar esse trabalho são os mais bem-sucedidos dentro das empresas. Fazendo uma analogia com uma orquestra sinfônica, o maestro é o líder reconhecido pelo excelente resultado obtido pelo grupo. No caso, uma música perfeita. De maneira equivocada verificamos inúmeros profissionais que buscam o sucesso em funções gerenciais, preocupando-se exclusivamente com o desenvolvimento técnico.

Quando, na verdade, esta não deveria ser sua prioridade. Retomando a analogia do maestro, ele só é capaz de tocar um instrumento por vez; enquanto a orquestra, quando bem dirigida, pode tocar dezenas de instrumentos simultaneamente e em perfeita sintonia. A conclusão é que, como nos demais casos gerenciais, a capacidade técnica em determinado instrumento se torna secundária.

Fugindo mais uma vez do mundo corporativo, com o intuito de sustentar essa tese, podemos verificar muitos técnicos de futebol consagrados, que são os líderes de suas equipes, mas que nunca foram atletas profissionais e não possuem habilidades para executarem uma jogada com qualidade. Neste exemplo fica comprovado que a questão técnica não é tão importante quanto a habilidade da liderança.

Não tenho dúvidas de que a liderança é a principal responsável pelo sucesso profissional, porém, para alcançá-lo, é necessário passar por todo um processo bastante complexo. Automotivação, motivação da equipe, repreensão, planejamento, organização, análise, decisão, comunicação assertiva, inteligência emocional e relacionamento interpessoal fazem parte dos atributos exigidos a um líder de sucesso.

Enfim, são muitas as habilidades necessárias para se tornar um bom líder. A boa notícia é que todas elas são alcançáveis. O aprimoramento pode ser realizado através de cursos, boas leituras e experiências vivenciadas. Em nosso dia a dia profissional estamos aprendendo o tempo todo com as relações interpessoais.

Sendo assim, não existe oportunidade maior do que aprender na prática. Mas, para isso, é necessário um esforço extra, de concentração e de análise. Prestando atenção aprendemos com os erros e acertos, sejam nossos ou dos outros.

Por fim, mas não menos importante: um bom líder tem, necessariamente, que gostar de se relacionar com pessoas, pois é isso que ele faz a grande maioria do seu tempo. Àqueles que não se encaixam neste perfil, a dica é investir em uma carreira técnica, onde a adaptação deve ocorrer de forma mais tranquila, podendo obter excelentes resultados e plena satisfação profissional.

(*) - É Diretor da Gábor RH, administrador de empresas especializado em recursos humanos.

Mais Lidas