Célio Pezza (*)

Relatório Global Peace Index (Índice Global da Paz), infelizmente conclui que o mundo piorou nos últimos dez anos.

De acordo com o Institute for Economics & Peace (IEP), conceituado órgão de pesquisas com sedes na Austrália, Estados Unidos e México, que quantifica a paz e seus benefícios pelo mundo, uma definição de paz é a situação existente pela ausência da violência ou do medo da violência.

O medo da violência é chamado de Paz Negativa, ao passo que a Paz Positiva é baseada em oito pilares, que criam o ambiente favorável para o florescimento da paz sem medo da violência em um país:

- Ambiente empresarial sólido

- Alto nível do capital humano (educação, competência, etc.)

- Baixos níveis de corrupção

- Livre acesso à informação verdadeira

- Bom relacionamento com os vizinhos

- Aceitação dos direitos dos outros

- Bom funcionamento dos órgãos governamentais

- Melhor distribuição de recursos

O IEP mede a paz no mundo há dez anos e divulgou em 2016 o seu décimo relatório chamado Global Peace Index (Índice Global da Paz), onde infelizmente conclui que o mundo piorou nos últimos dez anos. O impacto econômico da violência mundial em 2015 foi de US$ 13,6 trilhões ou seja 13,3 % do PIB. Isso equivale a US$ 5 por dia de cada habitante do mundo.
É um gasto absurdo, que se tivesse outra orientação, poderia trazer a paz ao mundo nas próximas gerações.

Só para termos uma ideia, uma redução de 10% no impacto econômico da violência anual, produz o equivalente a toda exportação de comida do mundo, neste mesmo período. É preciso reverter esse processo nos países que só aumentam a violência no mundo e fatalmente vão causar a nossa destruição ou a do planeta.

Isso não é impossível, pois existem países que já estão com um alto índice de Paz Positiva, ao passo que outros pioram a cada ano. É só seguir o exemplo daqueles que deram certo, semear agora e colher no futuro. Esse relatório analisou 163 países e concluiu que os melhores em termos de Paz Positiva são a Islândia, a Dinamarca, Áustria e Nova Zelândia.

Já os piores são Síria, Sudão, Iraque e Afeganistão. O Brasil está em 105º. lugar, perto dos Estados Unidos, que aparece em 103º. O Japão aparece em 9º. lugar. Esse Índice Global da Paz é um estudo bem amplo, com reconhecimento mundial, que mostra claramente a estupidez do ser humano em viver na violência.

(*) - É colunista, escritor e autor de diversos livros, entre eles: As Sete Portas; Ariane; A Palavra Perdida; e o seu mais recente A Tumba do Apóstolo (www.facebook.com/celio.pezza).

Mais Lidas