Lucas Fonseca (*)

Crença é tudo aquilo que eu acredito. Todas as nossas ações e decisões estão baseadas naquilo que acreditamos

Por isso, é de extrema importância reconhecer quais são essas crenças, como elas agem em nossas vidas e de que forma podemos tomar controle e consciência sobre as atitudes que temos. Nossas crenças podem ser grandes propulsores das nossas realizações, mas também tem o poder de limitarem nossas conquistas.

Crenças limitantes são pensamentos, interpretações que você toma para si como sendo verdadeiras. Uma vez que essas verdades são estabelecidas, elas te impedem de seguir em frente e conquistar o que deseja. Existem basicamente três tipos de crença que regem a nossa vida.

A primeira e mais comum de ser tratada em processos de autoconhecimento é a crença limitante. Ou seja, um valor pessoal que é tido como verdade absoluta e que coloca barreiras entre o desejo e sonho de realizar algo. A segunda, que não é tão comum de ser tratada, são as crenças fortalecedoras. Essas são convicções que ajudam a concretizar os sonhos. Ou seja, são crenças que fortalecem o indivíduo para que ele se torne a melhor versão de si mesmo.

Se quase não falamos das crenças fortalecedoras, as crenças transparentes, que são a terceira classificação, ficam absolutamente ignoradas ao longo do caminho. As crenças transparentes estão tão enraizadas e se confundem de tal maneira com a nossa personalidade, que chega a ser difícil identificar quais são elas e como foram parar ali. Essas só se manifestam quando a pessoa está vulnerável, quando se permitem sentir e tomar contato com suas emoções.

Para tomar controle de suas emoções e atitudes, é fundamental investigar suas crenças, observar sobre o que você realmente acredita, reconhecer como elas ganham força dentro de você, classificar as consequências que elas trazem para sua vida e, por fim, ressignificar a carga emocional empregada em cada um dos valores e certezas.

Para identificar as crenças, recomendo que a pessoa observe seus padrões de comportamento e faça uma autoanálise nos pilares de sua vida. Existem algumas ferramentas que ajudam nesse processo, mas basicamente é necessário observar os setores: pessoal, profissional, relacionamentos e qualidade de vida. Classifique com notas de 0 a 10 qual o seu nível de felicidade, satisfação e desenvolvimento em cada um desses pilares.

Feito esse exercício, você vai identificar as certezas que regem a sua vida e também será capaz de classificar seus valores pessoais entre: indiferentes, importantes e inegociáveis. Suas crenças estarão baseadas sobre seus valores pessoais. O próximo passo é reconhecer o que é seu de fato e que você foi induzido a acreditar.

Tão importante quanto identificar quais são suas crenças é reconhecer a origem delas. A maioria das pessoas é regida por um conjunto de valores que foi imposto, ou mesmo gradativamente ensinado. É raro encontrar alguém que não sofreu interferências em seus conjuntos de valores. A grande questão, que torna esse passo indispensável, é você querer que sua vida seja conduzida por um sistema de verdades impostos por fatores externos ou tomar frente em ser autêntico sobre como e por quê toma suas próprias decisões.

Depois, é preciso avaliar as consequências de cada crença. É nessa etapa que classificamos nossas certezas entre limitanbtes, fortalecedoras e transparentes. Com uma visão holística sobre as consequências negativas e positivas de cada crença, conseguimos estabelecer um novo nível de consciência. Essa nova percepção torna-se o gatilho que precisamos para mudar a maneira como cada crença atua em nossa vida.

A remodelagem de uma crença limitante acontece por meio de uma nova carga emocional sobre esse sistema de valor. Nessa etapa do processo, buscamos ressignificar a maneira como enxergamos nossas certezas. É hora de abandonar aquilo que carregamos de outras pessoas - e que não fazem sentido para nós - e trazer à tona as crenças transparentes que fazem parte da nossa vida.

Quando observamos toda essa jornada ela parece longa e demorada, mas a verdade é que é possível percorrer esse caminho em poucos minutos, desde que se tenha as ferramentas adequadas. Claro que isso só é possível com uma mudança do modelo mental - e a pessoa precisa estar disposta a imergir no autoconhecimento e enfrentar seu processo de transformação.

Querer é poder. O céu não é o limite é o alvo.

(*) - É palestrante motivacional formado em administração de empresas com especialização em coaching. Fundador do Instituto Lucas Fonseca, criou a metodologia Mindset de Alta Permormance (http://lucasfonseca.com.br/).