Marco Cassel (*)

Existem dois tipos de “brilho nos olhos” dos vendedores. Um deles é aquele brilho pela comissão.

Semana passada estava numa loja e queria comprar um celular. Fui atendido por uma vendedora extremamente eficiente, excelente em se comunicar, tecnicamente muito profissional (conhecia muito bem os produtos que vendia), mas o que me chamou mais a atenção foi sua delicadeza em tratar com pessoas, a maneira gentil com que cumprimentava os clientes, sempre com um sorriso nos lábios (e nos olhos, o que é mais importante).

Demonstrava prazer em fazer com que os clientes saíssem satisfeitos com a compra e de forma alguma, em nenhum momento, passava a impressão de querer “empurrar” a mercadoria. Era início de dezembro. O típico corre-corre nas calçadas e euforia nas lojas já era visível, mas aquela vendedora parecia alheia a tudo isso. Sua concentração era total em atender bem os clientes. Parecia sempre estar mais preocupada em “ajudar” do que em vender. E isso era pura verdade.

Quando estava pagando pela mercadoria, falei com o gerente que estava ao lado do caixa. Disse-lhe que estava muito feliz por ter sido atendido por uma pessoa tão gentil e encantadora e perguntei se a vendedora sempre fora assim, com esse jeito de quem quer ajudar o cliente. Ele me respondeu que sim e que inclusive (falou com orgulho) ela era sua campeã de vendas e que alguns clientes esperavam para serem atendidos por ela.

Isso me fez pensar num slogan que criei para uma palestra: “Porque entender de gente é a melhor técnica de venda”. Conheço muitos vendedores que conhecem e aplicam todas as técnicas de vendas possíveis. Argumentam muito bem, conhecem técnicas de negociação, são hábeis em persuasão, mantém sempre um sorriso nos lábios (menos no rosto e nos olhos), mas que vendem de uma forma medíocre porque não aplicam a melhor técnica de venda que existe.

Entender de gente, entender de pessoas, usar de empatia e atender os clientes como gostariam de ser atendidos. Claro que não estou menosprezando as outras técnicas, mas...

Existem dois tipos de “brilho nos olhos” dos vendedores. Um deles é aquele brilho pela comissão, por simplesmente fechar a venda, por bater as metas. O outro “brilho” é aquele por entender o que o cliente precisa, por oferecer o seu melhor para as pessoas, para encantar e tornar melhor o dia do seu cliente.

Certamente eu prefiro a segunda opção, pois dessa forma todo vendedor será um campeão – de vendas, de metas batidas, de objetivos alcançados, mas principalmente em melhorar a sua vida e a das outras pessoas. Esse deve ser o verdadeiro espírito natalino, mas que seja aplicado durante todo o ano, pois comemoramos em dezembro o Natal (nascimento de Jesus), mas que Ele renasça a cada dia em nossos corações, durante o ano todo.

Feliz Natal a todos e excelentes vendas (não somente no final de ano)!

(*) - É palestrante motivacional, especialista em superação, criação de valor e em tocar o coração das pessoas (www.marcocassel.com.br).