André Susskind (*)

Organizar a vida financeira é um grande desafio para muitos, e por isso a premiação em dinheiro ainda é vista como a melhor forma reconhecimento pelas empresas.

No entanto, ao ter esse pensamento deixamos de lado as oportunidades de viver momentos mais felizes. Afinal, você batalhou tanto para superar a meta proposta pelo chefe que merece aproveitar da melhor forma. Promover uma experiência obriga o colaborador a viver algo diferente. Isso dá o real significado às premiações – o reconhecimento por ter feito a diferença.

Oferecer um momento diferente ao colaborador vai estimular sua criatividade e aumentar seu bem-estar. Cabe ao gestor ser um agente motivador da equipe e uma ação que promova experiências pode ser a chave para essa motivação. As campanhas de incentivo só têm significado quando mostram que o colaborador não é apenas um número no registro da folha de pagamento, mas sim parte da essência de uma organização.

Para guardar na memória, e não na gaveta. Uma experiência pode ajudar a integração do grupo ou da equipe e vai gerar valor à história do colaborador. As pessoas precisam viver momentos inesquecíveis, com experiências inesperadas para ter bem-estar. E assim voltam no dia seguinte e contam para os colegas experiência vivida e isso gera uma espiral positiva no ambiente corporativo. O valor percebido de uma experiência é maior que um bônus em dinheiro.

Seja colaborador ou cliente, a realização de vivenciar um momento especial faz com que a felicidade causada pela premiação seja permanente. Isso porque quando ganhamos esse presente, seja uma viagem, um salto de paraquedas ou um day spa, somos surpreendidos e tomados de alegria.

Nessa modalidade de premiação a experiência começa quando a pessoa recebe o voucher. Tudo vira expectativa, desde escolher, marcar a data até o dia de vivenciá-la. Depois disso, a sensação perdura e se incorpora à história pessoal. Ao contrário de um produto ou o dinheiro em si, uma experiência gera lembranças permanentes que saem da gaveta e nos acompanham pela vida. E são essas memórias que fazem nossa vida valer a pena.

Esse conceito de premiação e reconhecimento de funcionários e colaboradores traz a oportunidade do indivíduo realizar coisas que provavelmente não faria ou investiria por conta própria, mas que são completamente realizadoras e, porque não, agentes de transformação. Ao contrário do que possa parecer, não é preciso aplicar uma quantia astronômica: com pouco investimento é possível implantar as mais diversas campanhas de incentivo, fazendo com que cada um se sinta importante e reconhecido.

Que tal refletir sobre o que realmente vale a pena? Antes de tudo, é preciso entender que a vida precisa ser vivida. Experiência não se tira ou se perde. Um carro pode ser roubado, a joia pode se perder, ou até virar produto no Mercado Livre, mas as experiências proporcionadas, ficam na lembrança, se incorporam à história pessoal e são para o resto da vida.

(*) - É empresário e administrador.